Dívida do cartão de crédito: pagar mínimo ou parcelar?

Dívida do cartão de crédito: pagar mínimo ou parcelar?

Publicado em 18/06/2019 às 03:06


Quando a fatura chega com valores elevados, a primeira pergunta que vem a nossa cabeça: pagar o mínimo ou parcelar? Invariavelmente pensamos nestes dois cenários para não comprometermos a renda do mês.

 

 

Antes de tudo, é preciso ter calma. Ter o conhecimento exato do valor devedor auxilia na melhor decisão.

 

 

O parcelamento é uma boa questão, mas é necessário ter em mente que a parcela virá acompanhada das compras futuras (e eventualmente as parceladas).

 

 

Normalmente as taxas de juros são menores do que um suposto uso do rotativo (pagar o mínimo), só que, novamente, precisa ser calculado para que não se torne uma bola de neve. Leve em conta a equação: valor de parcela + futuras compras + juros do parcelamento = Valor total da fatura.

 

 

A melhor opção sem dúvida é contratar um empréstimo para pagar o valor total da fatura.

 

 

Além de evitar os juros exorbitantes do cartão, ele deixa o cartão disponível para eventuais emergências.

 

 

 

Revendo sua atividade com cartão de crédito:

 

 

 

Todo mês, o emissor do cartão de crédito enviará a você uma fatura que inclui o que  tem que pagar para cumprir com o seu pagamento mínimo, a data de vencimento e uma lista das transações que foram lançadas na sua conta desde sua última fatura. É uma ótima ideia rever essas transações para garantir que todas as transações foram feitas por você e que não há diferenças. Você também quer garantir que seu último salário foi aplicado corretamente à sua conta.

 

Custos associados ao cartão de crédito:

Os cartões de crédito podem vir com custos, mas você pode evitar a maioria deles com o uso responsável. Eles incluem:

Pagamentos de juros: cartões de crédito podem ter diferentes taxas de juros, para compras, adiantamentos em dinheiro e transferências de saldo. Quando você paga integralmente todos os meses, suas compras não acumulam juros.

Taxas anuais, anuidade: alguns cartões cobram taxas anuais, de cerca de R$100 a R$500. Uma taxa anual pode valer a pena pagar se o cartão  de benefícios que compensam o custo, mas na maioria dos casos, você não deve pagar uma taxa apenas pelo privilégio de ter o cartão em sua carteira. Tem muita opção sem anuidade.

Taxas de atraso no pagamento: o custo varia de acordo com o emissor, e dependem do quanto você está devendo na fatura do cartão.

Taxas de transação no exterior: A maioria dos cartões adicionou uma sobretaxa de 1% a 3% nas transações feitas com comerciantes fora do Brasil. Os cartões de crédito de viagem geralmente cobram taxas menores, e alguns emissores não os cobram em nenhum de seus cartões, todos os cartões brasileiros incluem a taxa do IOF.

Confira nossa seleção dos melhores cartões de crédito com todas as informações em nosso comparador de cartões de crédito .

 

 

 


Precisando de Cartão de Crédito?

Quero encontrar meu cartão ideal!

Em destaque em Cartões