Prescrição de Dívida

Está com dúvidas em relação a prescrição da dívida bancária? Confira nossas respostas.




1. Minha dívida já completou 5 anos, mesmo assim continuam me cobrando, está correto?

Quando a dívida completa 5 anos, a contar da data de vencimento (data em que deveria mas não foi paga) não pode mais ser cobrada na Justiça ou constar em órgãos de restrição ao crédito como SPC e SERASA, mas pode ser cobrada via carta e telefone.

Porém, se a dívida foi protestada ou incluída novamente em órgãos de restrição ao crédito (SPC, SERASA etc) após os 5 anos *, o consumidor deve procurar um advogado de sua confiança, as pequenas causas ou a defensoria pública e entrar com processo na justiça exigindo a imediata exclusão dos cadastros e pedindo indenização por danos morais resultantes do cadastro indevido.

* Atenção: O acordo cria uma nova dívida e neste caso, se você não pagar o acordo seu nome pode ser incluído novamente no SPC e SERASA por mais 5 anos a contar da data em que deixou de pagar o acordo. Portanto, antes de fechar um acordo tenha certeza de que é em valor justo e que conseguirá paga-lo, com folga no orçamento!

2. Minha dívida já completou 5 anos, eu não sabia sobre a prescrição e paguei. Posso receber meu dinheiro de volta?

Não! Embora o direito de cobrança judicial da dívida estivesse prescrito, a dívida em si não está e, portanto, se foi paga, segunda a lei, não há o direito de se pedir a devolução do dinheiro.

3. Se a dívida for cobrada na justiça antes de completar 5 anos o que acontece em relação ao cadastro no SPC e SERASA?

Mesmo a ação judicial de cobrança ou execução da dívida não tem o poder de interromper ou suspender a contagem do prazo máximo de cadastro de 5 anos em órgãos de restrição ao crédito como SPC e SERASA, que é estabelecido no Código de Defesa do Consumidor.

Portanto, mesmo que o credor cobre ou execute a dívida na justiça, quanto completar 5 anos a contar da data em que não foi paga, o nome do devedor, obrigatoriamente, deve sair dos cadastros negativos de crédito. Se não sair, caberá ação de indenização por danos morais contra o credor.

4. O protesto de cheques e outros tipos de dívidas no cartório, renovam ou interrompem o prazo de 5 anos da prescrição do direito de cobrança na justiça da dívida ou do cadastro no SPC ou SERASA?

Não! O Simples protesto cambial não renova, muito menos interrompe o prazo de prescrição do direito de cobrança da dívida na justiça, conforme a Súmula 153 do Supremo Tribunal Federal (STF). Ou seja, o protesto não muda em nada a situação da dívida e a contagem dos 5 anos para efeitos da prescrição do direito de cobrtança judicial da dívida e da retirada do nome dos cadastros de restrição ao crédito como SPC e SERASA.

5. Se outra pessoa ou empresa “comprar” a dívida, poderá renovar o registro no SPC e SERASA por mais 5 anos colocando nova data de vencimento?

Não! Embora esteja “na moda” receber cartas e ligações de outras empresas, principalmente fundos de investimentos, que dizem que “compraram” a dívida da empresa ou banco tal ou que a dívida foi “cedida” (mesmo que a “compra” ou a “cessão” de dívidas seja algo previsto na lei), a renovação do cadastro, por parte destas empresas, no SPC e SERASA colocando novas datas de vencimento é indevido.

Portanto, fique atento! Se você tinha uma dívida com uma pessoa ou empresa, mesmo que ela seja “vendida” ou “cedida” várias vezes para outras pessoas ou empresas, o prazo de 5 anos para a prescrição do direito de cobrança da dívida na justiça e também o prazo de 5 anos para manutenção do cadastro de seu nome em órgãos de restrição ao crédito como SPC e SERASAsó conta uma única vez e começa a contar na data em que você deixou de pagar a dívida (data do vencimento da dívida) e não da data da inscrição ou da nova data de vencimento.

6. A inclusão nos cadastros poderá ser feita a qualquer momento, dentro do prazo destes 5 anos?

Sim! A inclusão do devedor nos órgãos de restrição ao crédito pode ser feita a qualquer momento dentro do prazo de 5 anos a contar da data do vencimento da dívida (data em que a dívida deveria mas não foi paga). Todavia quando completados os 5 anos deverá ser retirado o cadastro pelo credor ou pelo órgão de restrição.

Portanto, como exemplo, se a dívida era do dia 15 de maio de 2003, o prazo máximo para a permanência do cadastro é o dia 15 de maio de 2008 (5 anos). O credor tem o direito de incluir o nome do devedor no dia 14 de maio de 2008, pois ainda não completou 5 anos, mas pela lei, obrigatoriamente, deve excluí-lo no dia seguinte (15 de maio de 2008).

Se o cadastro não for excluído após completados os 5 anos ou for incluído após este prazo, o consumidor deve procurar um advogado de sua confiança e entrar com uma ação na Justiça pedindo a imediata exclusão do cadastro e indenização pelos danos morais causados, decorrentes do abalo de crédito.

7. E se a dívida for renegociada, o que acontece?

Se o devedor assinar documento fazendo uma renegociação, acordo, confissão de dívida, reescalonamento, reparcelamento, ou seja lá qual for o nome dado, a dívida anterior é extinta e é criada uma nova dívida e, neste caso, o nome do devedor deve ser retirado dos cadastros negativos (SPC, SERASA etc) após o pagamento da primeira parcela ,e se não for, o consumidor pode entrar com ação de indenização contra a empresa.

Todavia, nos casos de renegociação da dívida deve-se ficar bem atendo ao fato de se o acordo não for pago nas datas em que foi negociado o nome do consumidor pode ser incluído novamente nos órgãos de restrição e o prazo de 5 anos passará a contar novamente da data em que deixou de ser pago o acordo e não da data da dívida anterior.

8. O credor (banco, cartão, financeira, etc) renovou o cadastro no SPC ou SERASA alegando que eu fiz um acordo por telefone, mas eu não fiz! O que fazer?

Esta é uma prática ilegal, infelizmente bem comum atualmente, quando o credor alega que houve um acordo por telefone e por isto houve a renovação da dívida, quando na verdade a pessoa jamais fez qualquer acordo.

Neste caso, se o cadastro for após a dívida original já ter completado 5 anos, cabe processo judicial contra quem efetuou-o, pedindo a imediata exclusão e danos morais.

9. Como é contado o prazo de 5 anos, é de cada dívida ou é 5 anos a contar da data de vencimento da dívida mais antiga cadastrada?

O prazo de 5 anos é contado da data de vencimento (data em que a dívida deveria mas não foi paga) de cada uma das dívidas.

Por exemplo: Se você tinha um cadastro de uma dívida que venceu no dia 20 de dezembro de 2003, este cadastro deve ser excluído no dia 20 de dezembro de 2008, quando completar 5 anos.

Entretanto, se você tinha outro cadastro de uma dívida com data de vencimento em 15 de junho de 2005, este cadastro somente sairá no dia 15 de junho de 2010, quando completar 5 anos!

10. Quantas vezes a empresa pode cadastrar o nome do devedor nos órgãos de restrição ao crédito (SPC e SERASA) ?

Desde que seja dentro do período de 5 anos a contar da data de vencimento da dívida não há uma limitação. Portanto a empresa pode cadastrar, retirar e cadastrar novamente a dívida quantas vezes quiser desde que respeitado o prazo de 5 anos e que não seja com nova data de vencimento para a mesma dívida.

11. No caso de dívidas em que haja parcelas (financiamentos, empréstimos, etc) qual é a data de vencimento para contagem dos 5 anos?

Neste caso, cada parcela tem sua data de vencimento (data em que deve ser paga) e, portanto, cada parcela pode ser cadastrada independente da outra e o prazo de 5 anos contará da data de vencimento de cada uma das parcelas.

Renda mensal baixa?

Sem problema! Nosso assistente de pesquisa mostrará onde terá a conta ideal pra você.

Procura por recompensas?

Encontre uma conta com taxas diferenciadas, com ótimos cartões e facilidades!

Quer economizar dinheiro?

Nosso assistente te indicará contas correntes com as menores taxas existentes no mercado.

Em destaque no nosso blog

Investimento LCA Magnetis Investimentos

Ainda não conhece o investimento LCA da Magnetis? Então não se preocupe, pois vamos explicar tudo!   O investimento LCA, Letras de Crédito do Agronegócio, é destinado ao agronegócio, como o nome já diz, e possui risco baixo. Rentabilidade do LCA

<p>Ainda não conhece o investimento LCA da Magnetis?</p> <p>Então não se preocupe, pois vamos explicar tudo!</p> <p>&nbsp;</p> <p>O investimento LCA, Letras de Crédito do Agronegócio, é destinado ao agronegócio, como o nome já diz, e possui risco baixo.</p> <h4></h4> <h4>Rentabilidade do LCA</h4> <p>O LCA tem duas modalidades:</p> <ul> <li>Pré fixada: rentabilidade pré determinada;<img data-attachment-id="849" data-permalink="http://blog.triunfei.com/investimento-lci-do-banco-daycoval/como-investir/" data-orig-file="https://i2.wp.com/blog.triunfei.com/wp-content/uploads/2018/05/como-investir.jpg?fit=608%2C405" data-orig-size="608,405" data-comments-opened="0" data-image-meta="{&quot;aperture&quot;:&quot;0&quot;,&quot;credit&quot;:&quot;&quot;,&quot;camera&quot;:&quot;&quot;,&quot;caption&quot;:&quot;&quot;,&quot;created_timestamp&quot;:&quot;0&quot;,&quot;copyright&quot;:&quot;&quot;,&quot;focal_length&quot;:&quot;0&quot;,&quot;iso&quot;:&quot;0&quot;,&quot;shutter_speed&quot;:&quot;0&quot;,&quot;title&quot;:&quot;&quot;,&quot;orientation&quot;:&quot;0&quot;}" data-image-title="como-investir" data-image-description="" data-medium-file="https://i2.wp.com/blog.triunfei.com/wp-content/uploads/2018/05/como-investir.jpg?fit=300%2C200" data-large-file="https://i2.wp.com/blog.triunfei.com/wp-content/uploads/2018/05/como-investir.jpg?fit=608%2C405" class="size-medium wp-image-849 alignright" src="https://i2.wp.com/blog.triunfei.com/wp-content/uploads/2018/05/como-investir.jpg?resize=300%2C200" alt="Investimento LCA" width="300" height="200" srcset="https://i2.wp.com/blog.triunfei.com/wp-content/uploads/2018/05/como-investir.jpg?resize=300%2C200 300w, https://i2.wp.com/blog.triunfei.com/wp-content/uploads/2018/05/como-investir.jpg?resize=390%2C260 390w, https://i2.wp.com/blog.triunfei.com/wp-content/uploads/2018/05/como-investir.jpg?resize=520%2C346 520w, https://i2.wp.com/blog.triunfei.com/wp-content/uploads/2018/05/como-investir.jpg?w=608 608w" sizes="(max-width: 300px) 100vw, 300px" data-recalc-dims="1" /></li> <li>Pós fixada: baseia-se, na grande parte dos casos, na CDI, Certificado de Depósito Interbancário.</li> </ul> <h4></h4> <h4>Riscos do LCA</h4> <p>Os riscos são baixos, exceto no caso da financeira onde você fez o investimento vir à falência. Além disso, o investidor tem o FGC, Fundo Garantidor de Crédito, que tem uma garantia de até R$ 250 mil para o emissor.</p> <h4></h4> <h4>Liquidez do LCA</h4> <p>Geralmente, é só permitido resgatar o dinheiro investido após o fim do contrato. Porém, é permitido a transferência de titularidade do título, o que torna possível retirar a quantia antes do vencimento.</p> <p>&nbsp;</p> <p>Para saber mais sobre os outros tipos de investimento oferecidos pela Magnetis, clique sobre o nome: <a href="http://blog.triunfei.com/investimento-lci…tis-investimento/">Investimento LCI</a> ou <a href="http://blog.triunfei.com/investimento-cdb…is-investimentos/">Investimento CDB</a>.</p> <p>Caso queira saber mais sobre o Investimento LCA da Magnetis Investimentos, clique <a href="http://ad.zanox.com/ppc/?44949945C1134360256T">aqui</a>!</p> <p>O post <a rel="nofollow" href="http://blog.triunfei.com/investimento-lca-magnetis-investimentos/">Investimento LCA Magnetis Investimentos</a> apareceu primeiro em <a rel="nofollow" href="http://blog.triunfei.com">Triunfei.com</a>.</p>